Quanto tempo demora realmente a aprender piano?

A prática de piano é algo de que poderá desfrutar toda a vida, mas quanto tempo demora a tocar a primeira canção? 

07/09/2023

A pergunta “quanto tempo demora a aprender piano” é difícil de responder. Quanto tempo é preciso para aprender a pintar um retrato que se parece exatamente com o sujeito? Quanto tempo é preciso para aprender uma língua estrangeira com a qual se pode apaixonar? Escrever um romance que quebra os corações dos leitores, compor uma sinfonia que rejubila a audiência?  

Qualquer resposta, por mais acertada que seja, será essencialmente insatisfatória, porque isto dependerá de vários fatores: a regularidade e o tempo que dedica à prática, os recursos que tem à disposição, o nível de talento natural e a motivação.

Qualquer pessoa que tenha tentado aprender algo de criativo sabe que não há uma resposta certa para esta questão — mas também sabe que essa resposta por si só é completamente insatisfatória. Por isso, propomos um objetivo concreto com uma solução concreta.  

No que diz respeito à música, quase todos os pianistas começaram com o mesmo objetivo: tocar a sua primeira canção.  Aquilo que propomos é tocar uma canção simples mas interessante, à sua escolha, com ambas a mãos, de forma entusiástica e impressionante.

Pode começar a pensar na música que gostaria de tocar, ou talvez já tenha uma em mente. Aconselhamos que escolha uma canção que goste e reconheça, mas que não seja demasiado complicada.  O seu objetivo deve ser desafiante, mas realista. Escolha uma canção que o(a) faça sentir-se realizado(a) quando a conseguir dominar. Aqui estão algumas sugestões para iniciantes na secção da Terceira Semana abaixo.

Entre duas a quatro semanas.

Como aprender a primeira canção no piano em menos de um mês 

No exemplo abaixo dividimos a prática em quatro semanas.  Se tiver mais tempo para praticar, tiver tendência para aprender rápido ou já tocar outro instrumento, talvez demore menos tempo e pode comprimir as lições no espaço de duas semanas. Para alguns, o tempo de aprendizagem poderá ser mais longo. Mas isso não faz mal nenhum. 

Temos a certeza que todos podem alcançar este objetivo, não precisa de se comparar com ninguém. Deve apenas competir com a pessoa que era ontem, e o seu nível de comparação deve ser a aptidão que tinha antes de ter começado a praticar.  

Este guia é para pessoas que têm um piano ou teclado em casa, ou que têm acesso fácil a um, com muito pouca ou nenhuma experiência.  

Também é para quem está a aprender sozinho, sem professor. Talvez tenha requisitado alguns livros sobre piano na biblioteca, ou assistido a vídeos do YouTube ou talvez esteja a usar um app como flowkey.  

E finalmente, é para quem pretenda praticar regularmente, pelo menos vinte minutos por dia, alguns dias por semana.  

Tudo a postos? Vamos começar!

Como praticar

A regularidade com que pratica é mais importante do que a duração da sua prática. Para aprender a tocar piano é preciso desenvolver memória muscular, e a parte do cérebro responsável por criar essas memórias é, em grande parte, estimulada pela repetição e habituação. É por isso que é importante que pratique o máximo de dias por semana possível, mesmo que seja por apenas alguns minutos. Praticar cinco dias por semana, durante vinte minutos, é mais eficaz do que praticar um dia por semana por duas horas. 

Primeira Semana — Aprender o básico

Esta semana, deixe-se motivar pelo entusiasmo de como tocará no futuro.  Não se deixe desencorajar com detalhes técnicos. Só precisa de saber o suficiente para começar a tocar uma canção. 

Incluímos as aptidões básicas no nosso curso de Introdução ao Piano para assinantes do Premium. Pode ter já acesso ao mesmo com a demonstração gratuita de sete dias. Na nossa opinião, esta é a forma mais rápida e fácil de começar, mas também existem vídeos no YouTube e livros que podem ajudá-lo(a). É importante que encontre a ferramenta certa para si, por isso, deve explorar todas as opções.

Inicialmente, irá começar a aprender a posicionar as mãos. A primeira posição que todos aprendem é o Dó central. Não se esqueça disso, porque vai ouvi-lo muitas vezes. Aqui tem uma ilustração.

E aqui tem um link para o nosso artigo sobre técnica. Este explica como se deve sentar, colocar as mãos e esse tipo de coisas. 

Agora, vai aprender a ler música.  É mais fácil do que parece. Apesar de haver outras formas de aprender a tocar, e alguns músicos nunca aprenderem a ler música, a grande maioria dos músicos não se arrepende de ter aprendido.  Tal como a colocação adequada das mãos e a postura, este é outro componente importante para se ser um músico competente.  

Há muitos livros e recursos disponíveis sobre este assunto e flowkey ensina isto nos seus cursos. Também oferecemos este guia gratuito para ler partituras que pode ajudá-lo(a) ao início.

Assim que tiver aprendido as aptidões básicas, pode solidifica-las através da prática. Aqui estão alguns exercícios para iniciantes, que pode encontrar no app flowkey.

Domine as aptidões básicas

  • Pratique a posição do Dó central. Coloque o polegar direito no Dó central e cada um dos outros dedos numa tecla. A partir desta posição pode tocar uma escala de cinco dedos e as notas de abertura de canções populares como a “Ode à Alegria” de Beethoven.
  • Torne-se confiante a tocar com a mão direita e esquerda. Comece a aprender com a mão direita e a mão esquerda separadamente, e depois, quando estiver mais confiante, pratique com as duas.
  • Siga um ritmo. Pode desenvolver os dois exercícios anteriores, praticando-os lentamente.  

Se já conhecer bem as aptidões básicas ou quiser simplesmente começar logo a tocar canções, a biblioteca flowkey oferece milhares de músicas para iniciantes, em vários géneros musicais. Para ter uma ideia daquilo que gosta de tocar, pode dar aqui uma vista de olhos. Terá de abrir uma conta, mas fazê-lo é gratuito. 

Segunda Semana — As coisas estão a aquecer

Esta semana, vai aprender a tocar com as duas mãos. 

Para muitas pessoas, esta é a parte mais difícil na aprendizagem do piano. Não é algo que façamos naturalmente, por isso, a repetição vai ser importante para dominar esta capacidade. O segredo é aprender a tocar com cada uma das mãos em separado e depois combiná-las. 

A coisa mais importante que deve saber sobre tocar com as duas mãos, é que esta é uma tarefa nova e complicada para o cérebro. Quando se aprende uma nova atividade, o cérebro tem de dedicar a sua completa atenção a essa tarefa. Neste caso, isso significa uma mão de cada vez.

Se tentar tocar com as duas mãos imediatamente, o seu cérebro tem de aprender os movimentos da mão direita e da mão esquerda e coordenar ambas as mãos ao mesmo tempo.  Isto é simplesmente demasiada informação de uma vez. 

No artigo gratuito tocar com ambas as mãos explicamos tudo isto, ou, se quiser, pode usar o app. 

Para melhorar a sua prática, experimente estes exercícios retirados do curso Tocar com Ambas as Mãos. 

Tocar com ambas as mãos

  • Posição Dó sicronizada Com a mão direita posicionada no Dó central e a mão esquerda posicionada uma oitava abaixo, toque as primeiras cinco notas —  Dó, Ré, Mi, Fá, Sol — para cima e para baixo, primeiro com uma mão, depois com a outra e depois com ambas as mãos simultaneamente. Quando se sentir confiante a fazer isto devagar, pratique num ritmo mais acelerado, gradualmente.
  • Posição Dó espelhada – Com as mãos na mesma posição de início, tal como no exercício anterior, toque as mesmas cinco notas que tocou anteriormente, mas desta vez com a mão direita a refletir o que a mão direita faz. Ou seja, enquanto a mão direita toca Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, a mão esquerda toda Sol, Fá, Mi, Ré, Dó, e depois cada mão continua a tocar as notas até chegar ao ponto de partida (Dó para a mão direita e Sol para a mão esquerda).
  • Independência de mãos – Com este exercício pratica fazer uma coisa com a mão esquerda e outra coisa completamente diferente com a mão direita. No vídeo abaixo o nosso professor toca semibreves isoladas com a mão esquerda enquanto move a mão direita pelo teclado, para cima e para baixo.  À semelhança do que aconselhámos acima, deve começar ao seu ritmo e depois acelerar gradualmente. 

O nosso curso completo inclui um guia passo a passo e feedback, caso pretenda praticar estes exercícios — e muitos outros — em detalhe.

Se estiver com coragem, esta semana poderia começar a aprender uma peça simples, como por exemplo “Clair de Lune” de Claude Debussy. Encontra-se disponível gratuitamente no app flowkey e pode escolher com que mão quer começar a praticar antes de as combinar. 

Terceira Semana — Está quase

É aqui que começa a praticar a canção que escolheu — e que tudo se torna mais interessante.  

No fim da semana estará a tocar segmentos reconhecíveis da canção que escolheu, antes de os juntar na semana seguinte. 

O mais importante quando escolhe uma canção é o seu entusiasmo por ela. O entusiasmo que tiver irá dá-lhe a motivação que necessita para praticar e persistir nas partes mais difíceis. 

Mas não se esqueça que a canção tem de ser adequada para iniciantes. Não deve ser muito longa ou complicada. Comece com algo fácil e com um objetivo realista. Também recomendamos que comece com uma melodia que lhe seja familiar, desta forma saberá como esta deve soar.

Veja a nossa lista com dez canções fáceis para iniciantes de piano e aqui tem algumas canções no nosso app que recomendamos: 

Com o nosso app pode segmentar todas as canções acima, torná-las lentas e ajustar a sua dificuldade, tornando-as mais fáceis de tocar e praticar. 

Quando tiver decidido que música tocar, divida-a em partes e comece a aprender uma parte de cada vez. Em geral, uma secção deverá incluir duas a quatro barras de compasso — ou quatro a oito segundos. No entanto, isto é apenas uma sugestão. O melhor é que divida a canção em secções que lhe pareçam contidas, para que cada secção que aprenda lhe dê a sensação de uma frase musical completa. 

Quando dividir a canção, pratique como explicamos abaixo.

Aprender uma canção

Todos os dias, pratique pelo menos uma secção com dois a quatro compassos da canção que escolheu, seguindo este padrão: 

  • Primeiro a mão direita 
  • Depois a mão esquerda 
  • Depois ambas as mãos
  • Depois ambas as mãos devagar, mas a um ritmo regular
  • Depois aumente o ritmo gradualmente

Quando achar que já consegue tocar bem essa secção, passe para a próxima. Quando achar que já toca bem algumas secções, pode começar a combiná-las. No fim da semana, estará a tocar todas as secções e, quem sabe, talvez até a tocar a canção completa. Nesta altura, não se preocupe com a rapidez ou dificuldade com que toca, tente simplesmente ganhar-lhe o jeito. 

Quarta Semana —  Aquilo por que tanto esperou

Agora, vamos praticar a canção completa. Esta semana vai aprender o significado de «a prática faz o mestre».

Deve começar esta semana a tocar a canção completa e a reparar nas partes mais difíceis, onde os dedos saltam notas ou não consegue manter o ritmo. Deve concentrar a sua prática nestas partes especificamente. 

Repita estas pequenas secções constantemente, até conseguir tocá-las a um ritmo consistente, e depois toque a canção completa outra vez. A única forma de melhorar, é praticando constantemente. Continue a praticar e aprenda a desfrutar destes momentos como um fim em si mesmo.

Tenha cuidado para não tocar muito rápido. Tocar devagar, a um ritmo consistente, irá soar muito melhor do que se tocar apressadamente em certas partes e parar pelo meio. 

Para este tipo de prática, flowkey dispõe de um recurso que lhe permite tocar em ritmos diferentes, que pode acompanhar com o seu dispositivo móvel, a 50%, 75% ou com a rapidez original. Também pode configurar o app para que este apenas avance na música depois de ter tocado cada nota. 

E não se esqueça, ninguém é perfeito! Pode enganar-se à vontade — até os melhores pianistas do mundo se enganam. Mas continue a praticar e a divertir-se a tocar e, sem que dê por isso, estará a tocar perfeitamente.  

No fim da semana estará pronto(a) para tocar a canção de cor.

O Grande Final  

Depois de todo o seu trabalho duro, está na hora de brilhar. Mostre as suas habilidades à sua mãe, parceiro ou talvez a um pequeno grupo de amigos.  Toque para o carteiro! Toque a canção para o seu gato, se for preciso. Todos merecem ouvir os seus dotes musicais. Exibir o seu talento é uma das partes mais divertidas — e você merece. 

Mas acima de tudo, não se esqueça de tocar para si também. Praticou arduamente para aprender esta canção e deve desfrutar do momento, com orgulho naquilo que alcançou. Não se esqueça de se divertir com a sua prática. 

E se necessitar de uma pequena ajuda, flowkey está sempre disponível, mesmo que seja um completo iniciante. Temos todos os tipos de canções, de vários géneros e níveis, até mesmo canções que simplificámos para que possa começar a tocar as versões mais fáceis antes de tocar a versão integral. Recebe feedback em tempo real, lições passo a passo para aprender o básico, opções para praticar com cada uma das mãos e vários ritmos. Esta é uma forma fantástica para aprender a tocar piano e esperamos que nos visite. O melhor de tudo, é que oferecemos muitos recursos gratuitos. 

Boa sorte e divirta-se. Mal podemos esperar para ver o que aprendeu! 

Leia mais

Blonde woman on a black piano

4 Dicas para Dominar Qualquer Música de Piano

Está difícil de progredir com uma canção? Vamos colocá-lo de volta ao rumo certo com estas dicas e truques.

10 canções de piano fáceis para iniciantes

Não é preciso praticar muito para tocar músicas de piano que adora. Aqui está nossa seleção de músicas fáceis de tocar para iniciantes, além de algumas dicas importantes para que obtenha sucesso.

Pianista feminina

12 Músicas Tristes de Piano que Todos Amam

Quando se está para baixo, uma triste canção de piano é a coisa certa para captar esses sentimentos. Deixe suas emoções fluir com estas músicas lentas e tristes.

Old Yamaha piano

14 Famosas Músicas Clássicas de Piano

Com séculos de história por trás, a música clássica merece um lugar na playlist de todo pianista. Aqui estão algumas das mais famosas peças de piano, do Barroco ao Romântico.